sábado, 9 de agosto de 2008

Carvalhal-Miúdo, uma casa por construir...

É, sem sombra para dúvidas, uma das grandes frustações dos meus pais, ao longo de toda a sua vida...
Já lá vão cerca de 35 anos (tinha eu dezasseis anos), quando o meu pai encetou conversações com o sr. Cassiano Bandeira, do Esporão, no sentido de elaborar um orçamento para a construção de uma casa em Carvalhal-Miúdo, a ser feita no Quintal.
Chegaram a conclusões e acordos, e já tudo se encaminhava para que o imóvel pudesse iniciar a sua edificação.
Surge, no entanto, na época uma situação na actividade profissional do meu pai, na qual era sócio com o tio Armando... a hipotése de adquirirem o trespasse de uma loja de rés-do-chão (a que possuíam, embora na mesma rua, era de 1º andar, logo esta teria melhor localização), e todo o dinheiro poupado seguiu para uma aplicação diferente da anteriormente desejada.
Foi o caír de um sonho, jamais possível de concretizar, conclui-se hoje.
A conjuntura geral, e o movimento político e financeiro, do país, fizeram com que esta tomada de posição não viesse a dar os melhores frutos (acumulados a outros factos que não interessa, aqui, abordar), redundando num conflito de dificuldades, que teve o seu final com a necessidade premente do meu pai se desfazer do estabelecimento, para não piorar a situação.
Gorou-se, no tempo, a ambição de contruír uma casa na terra. Se tivesse sido levada a efeito, faria (talvez!...) com que outros seguissem as mesmas pisadas e Carvalhal-Miúdo, se calhar, não estaria como hoje se encontra...

1 comentário:

M Barata disse...

Devo confessar que gosto bastante da vossa aldeia. E também me entristece que não esteja habitada permanentemente.
carvalhal Miúdo tem uma localização previligiada... gostava muito de descer até lá, quando ia a guardar o gado... Agora de vez em quando lá vamos em passeio.
Rezemos que este blog também faça nascer de novo a vontade de regressar...