sábado, 21 de junho de 2008

Jogos de Verão

...Tudo começou com uma ideia de um grupo de jovens dos Povorais por volta de 1975, que contou com o incentivo do Padre António Dinis. Em 1976 fizeram um jogo de futebol com a Ribeira, nos Povorais, num terreno "arrelvado". Após este prélio, Povorais e Ribeira apresentaram e discutiram essa ideia com as suas congéneres da região, e a partir daí se deu início aos Jogos, no seu epogeu...
Passaram a ter a regular participação das aldeias da Ribeira, Cerdeira, Esporão, Povorais, Ladeiras e Vale Torto, uns num ano, outros noutro, e os jogos foram-se realizando anualmente, por volta de 15 Agosto, durante 2 ou 3 dias.
Aconteciam naquela altura do ano, para colidirem com o tempo de férias dos naturais das diversas aldeias, a fim de poder aumentar o número de inscrições para os mesmos. Gerava-se, desse modo, um vibrante ambiente, com um salutar e são convívio, apesar de alguns contratempos que aconteceram, num ou outro ano, mas que não chegaram para desvalorizar a importância e o valor que os jogos tinham.
Atletismo (corrida e lançamento do peso), chinquilho, matraquilhos, sueca, dominó, tiro ao alvo, damas e, claro, o futebol, eram as modalidades (em generalidade) em competição.


foto de António Martins (Avelino Martins entrega a medalha ao vencedor da corrida de veteranos - Agosto de 1977)

O futebol, inicialmente jogado em Góis (e por menos elementos por equipa), passou, a partir dos IV jogos a ser realizado no Esporão, no campo "Cassiano Bandeira", independentemente (numa e noutra circunstância) de qual fosse a aldeia organizadora do evento.
Participei pelas Ladeiras em dois jogos: 1977 e nos anos 80 (não posso precisar do ano correctamente). Em 1977, numa organização da Cerdeira, fomos jogar o futebol a Góis. Depois de termos almoçado bem, e bebido a condizer, nas Ladeiras, fazendo o percurso a pé até à vila, por entre os pinhais (agora seriam eucaliptais), atalhos e carreiros, chegando um pouco cansados e quase à hora do jogo. "Levámos 3-1 na pá".


foto de desconhecido (A equipa de futebol das Ladeiras - Agosto de 1977)

Na prova de Atletismo (corrida) as Ladeiras ganharam a medalha referente ao 1º classificado, pela vitória do meu primo Luís Cunha Martins (ficou em 3º o Luís Filipe Martins, do Esporão, também, meu primo).


foto de António Martins (Luís Cunha Martins recebe medalha de 1º classificado - Agosto de 1977)

Mais tarde já o meu filho participou nos jogos, chegando, inclusivé, a jogar futebol pelo Esporão. Em tempos anteriores a estes, alguém pensaria que por aquela serra iriam acontecer coisas deste tipo, nas suas aldeias?!...

7 comentários:

M Barata disse...

Muito boa tarde. Aproveito para lhes mandar um abraço e desejar muito sucesso no presente blogue.
Os meus parabéns, os textos são precisos e levam-nos a passear pelas memórias, ou a conhecer a realidade das aldeias de Carvalhal Miúdo e Ladeiras. Algumas vezes fui até lá, com o gado...
E as fotografias então adoro.
Continuem!

Anónimo disse...

Boa Tarde.
Abraço retribuído.
Agradeço, desde já, as suas palavras. Estas coisas dão o seu trabalho, mas por enquanto estou a fazer tudo isto com muito, muito gosto.
Este blogue estará sempre ao seu dispôr...
Bem haja!
António M.R.Martins

O Boiças disse...

Bom dia,
Caro amigo, gostei do que escreveu mas tenho um reparo importante a fazer e a história dos Jogos de Verão ficam enrequecidas com a verdade dos factos.
Os Jogos de Verão tiveram ínicio na Aldeia dos Povorais entre elementos jovens na altura entre os quais se destacam o Sr. Fernando Barata, Anselmo Baeta,Daniel Carvalho,Mário Barata e Jorge Bastos no ano de 1976, em que o primeiro jogo de futebol se realizou no "campo dos Povorais" na altura terra "arrelvada" com as equipas dos Povorais e Ribeira arbitrado pelo Padre António Dinis o qual sempre nos deu todo o apoio e encorajamento para a realização dos mesmos.
Foi apartir desta altura que se contactou as aldeias vizinhas para a participação nos Jogos de Verão íncluindo as Ladeiras que teve a sua honrosa participação durante alguns anos.
A fácil confirmação pode ser feita pelos nossos grandes amigos e seus primos (Luís Cunha e Luís Filipe).
Não considere este comentário como uma crítica mas sim como um esclarecimento já agora os meus parabéns pelo seu blog que costumo visitar com alguma regularidade.
Um abraço.

Anónimo disse...

Amigo "o boiças",
Em primeiro lugar quero agradecer a sua atenção e as palavras elogiosas que me confere. Neste momento o texto sofreu a alteração da introdução de fotos,situação essa que está a cargo do meu filho.
Para iniciar este aglomerado de frases, que vão sempre constituír pequenas histórias, socorri-me de um exemplar do "Correio da Serra", Boletim Regionalista da Comissão de Melhoramentos do Esporão, de há 20 e tal anos, que fazia alusão aos Jogos e à sua história. Deve ter razão, concerteza, mas o meu intuito é o de contar apenas histórias e trazer, um pouco, estas aldeias (e outras vizinhas)à lembrança. Todavia quero agradecer, imenso, a sua referência e pedir as minhas sinceras desculpas por não ter sido tão conclusivo, como seria de esperar. Ainda estamos a começar estas lides, embora eu saliente, uma vez mais, que a minha intenção é apenas a de contar episódios de tempos que já lá vão, e outras coisas mais recentes, que nos façam recordar aquelas terras.
Grato, pela sua visita, que espero seja assídua...este blogue também é seu!...
Bem haja!
Um abraço.
António M.R.Martins

Anónimo disse...

Amigos,
Dentro dos possíveis, já foi feito um enquadramento e ajustamento ao texto, a fim de que não sejam feridas susceptibilidades, e de que seja dada mais verdade ao assunto.
Espero que esteja do vosso acordo.
Grato, uma vez mais, pela atenção.
Um abraço.
António M.R.Martins

Anónimo disse...

Muito boa tarde.
Não o conheço mas desde já fica aqui os meus votos de parabéns pelo magnifico trabalho que tem feito neste seu blogue.
Devo ser de uma geração mais recente mas ficou e ficará para sempre na minha memória os tempos que passei nos anos que participei nos jogos de verão.Era uma maneira de criar novos laços de amizade e só tenho pena que a minha aldeia que tanto admiro se tenha retirado,e o motivo não ter sido por causa dos jovens que durante os jogos de futebol, onde se aquecia um bocadinho mais o ambiente.Mas tive o previlegio que era só durante o jogo porque fiz muitos amigos.
De novo o meu muito obrigado e já agora sou um filho da CERDEIRA.

Guidinha Pinto disse...

Pois é. Sou neta da Cerdeira e conheço os três senhores que se encontram no pódium a receber a medalha de Avelino Martins, na corrida de veteranos em Agosto de 1977. São meus primos e chamam-se Manuel "Sardinha", Fernando "Catraia" e Américo Simões. Estão os 3 vivos e a mexer, como sui dizer-se. Nessa altura todos acompanhávamos os jogos e meu marido e irmão jogavam futebol e o senhor meu pai jogava à sueca, pela Cerdeira. Como quase tudo o que é bom, termina. Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades, como diz o poeta :)
Que bom foi recordar.