sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Os meus pais, antes de mim

Meus pais casaram-se a 19 de Maio de 1954, já lá vão 54 anos (é obra!...).
O matrimónio foi celebrado na Igreja Matriz de Góis, pelo pároco da diocese, de então, Padre Belarmino Rodrigues Soeiro (o blogue, da aldeia vizinha do Esporão "Aldeia do Esporão", lançou texto com imagem fazendo referência à sua pessoa), que era muito querido de todos os paroqueanos. Os meus pais ainda o relembram de forma muito carinhosa.
Para a cerimónia católica estavam convidadas 13 pessoas (entre os quais os padrinhos...da noiva, Manuel Bandeira e Arminda Martins Bandeira, do Esporão (Boleirinha) e do noivo, Casimiro Rodrigues e Olinda Martins Rodrigues, os futuros sogros, que haviam sido padrinhos de baptismo, tal como acontecera com os padrinhos da noiva. Era usual, naquele tempo, este procedimento) e arranjou-se à última da hora um outro elemento (13 era número de azar...) o, então ainda criança, David, do Esporão, irmão do meu futuro tio José Casimiro (tendo em linha de referência a data do evento sobre qual agora se escreve...).
O percurso de Carvalhal-Miúdo para Góis foi feito a pé, convidados incluídos (naquele tempo não haviam automóveis por ali), assim como o respectivo regresso.



foto referente ao dia de casamento de meus pais, 19 de Maio de 1954, autor desconhecido.


O tempo esteve com céu nublado, foi um dia em que sol permaneceu um pouco escondido.
Após o enlance matrimonial (onde foram dados os respectivos "sins" e as inerentes aceitações), os parabéns aos noivos e o regresso a Carvalhal-Miúdo, onde seria servido o jantar. Aí com mais convidados, amigos, vizinhos, como era vulgar acontecer por estas aldeias. Apesar das dificuldades as economias dos pais eram gastas com os casamentos dos filhos, onde não poderia faltar comida e bebida (às vezes por dois ou três dias...).
Para a noite de núpcias os meus avós cederam o seu quarto aos noivos (foi cá uma noite...).
Lua de mel não houve, que era coisa que por estas terras não existia.
Os meus pais são primos direitos e dizia-se, naquele tempo: - Quanto mais prima mais se lhe arrima...
Em Novembro de 1955 desta união, nasço eu e em Março de 1957, a minha mãe dá à luz a minha irmã.
Já lá vão 54 anos!...

3 comentários:

Anónimo disse...

Os meus parabens a este simpatico cazal DEUS os alimente com muita saude e muita paz.

Antonio Assunção

VOZ DO GOULINHO

Carvalhal-Miúdo disse...

Muito obrigado.
Um abraço

GLP disse...

Ora que belo par de jarras nesta velhinha foto.

Beijos aos meus avós